Warcraft 3 e os heróis menos escolhidos do metagame

Warcraft 3 Firelord

Olá a todos! Eu sou o Norseland. Vocês devem me conhecer de outros artigos de Warcraft 3 aqui do site e hoje estou de volta (de novo) para falar sobre os heróis.

Anteriormente eu comentei sobre tipos de heróis, mas agora iremos discutir sobre outro problema: os heróis menos escolhidos de Warcraft 3. Vamos cobrir os heróis que tiveram menor pickrate de um dos patches passados (só ao final desse patch terei uma boa base de dados pra trabalhar), e vamos entrar a fundo porquê são heróis “ruins” e se isso justifica serem pouco escolhidos. E, é claro, se mantendo o máximo possível em heróis considerados “neutros” (ou seja, de taverna).

Usando dados encontrados em Hero Pick Rates Patch 1.31.1 temos a seguinte imagem.

Warcraft 3: Os heróis menos escolhidos

Pickrate de HeróisComo podemos ver, temos escolhas bastante baixas e vários competidores pra essa lista. Como, por exemplo, o Crypt Lord com apenas 4.14% de escolha, e isso só entre jogadores de Undead.

Já a Priestess of the Moon conta com apenas 2.05% de escolha entre apenas jogadores de Night Elf. Eu poderia falar sobre especificamente estes heróis, mas hoje traremos apenas heróis neutros de Warcraft 3. Para melhorar, vamos usar outros dados do mesmo artigo citado acima:

Observando as taxas dos heróis de taverna de Warcraft 3, podemos ver um grande foco em Dark Ranger, Naga Sea Witch e Goblin Alchemist — heróis excepcionais que encaixam em várias estratégias de raças diversas, mostrando porque seu pickrate é alto.

Seguindo de forma contrária nós temos Firelord e Beastmaster. Iremos começar a falar pelo Firelord.

Firelord

World of Warcraft wallpaper. Ragnaros the Fire Lord.

Se analisarmos nossas estatísticas, podemos ver quais são os heróis mais populares da taverna. Embora os números certamente tenham mudado para Alchemist e Panda nos últimos patches e atualizações, acho que é seguro dizer que o Firelord ainda está pairando no fundo do poço.

Todo mundo que jogou alguns jogos de ladder nos últimos anos, e vou além, desde o lançamento do jogo provavelmente sabe para onde vamos discutir esse herói. Uma das maiores fraquezas do Firelord no Warcraft 3 é a vulnerabilidade e a falta de mana. Isso é frequentemente abusado pelos oponentes, independentemente de sua própria raça.

Embora sua taxa de escolha seja horrenda, seria errado dizer que ele não tem um nicho. De vez em quando, o Firelord é usado em todos os tipos de push que chegam antes que o inimigo tenha efeitos de dispell. Por exemplo um tower rush tier 1 de humano, um tower rush de Far Seer e Firelord na mirror de orc — e em raras ocasiões — contra um humano que está tentando fast expo.

Em um nível de jogo mais elevado, é muito difícil ver um Firelord fazendo campos de creep. É um tipo de escolha “termine o jogo ou desista” que eu gosto de me referir como “all-in”, um termo de poker quando você coloca todas as suas fichas nessa rodada. Quero deixar claro que não tenho problemas com heróis que causam impacto no nível 1. Vemos que isso funciona muito bem com Naga Sea Witch. O problema ocorre quando você simplesmente perde quando não termina o jogo imediatamente.

Agora, para finalizar, eu gostaria de dar uma opinião para melhorar o uso do Firelord, ou apenas deixa-lo mais efetivo, igual ao que fizeram com o Crypt Lord na ultima atualização:

Como o Firelord não tem muita mana, diminuir sua habilidade de invocação de 140 de mana para 100 pode ajudar bastante. Soul Burn como provavelmente é uma das habilidades principais dele e aumentar seu dano seria interessante. Apenas isso deve colocar o herói em uma posição mais viável, mesmo que seja para continuar sendo apenas um herói de rush.

Beastmaster

Bem, onde começar a falar deste herói de Warcraft 3? É complicado, mas vou então já deixar bem claro: ele é o meu herói favorito de todo jogo pela lore e pelo seu kit. Bem, não exatamente pela força que ele trás, mas eu lembro de que, quando jogava sozinho contra o IA, antes mesmo de saber o que era um jogo online ou que poderia jogar com várias pessoas pela internet, eu gostava de jogar com ele. Sempre achei muito interessante o quão esse herói poderia sozinho trazer consigo um número grande de tropas e assim eu me sentia muito mais a vontade de enfrentar os oponentes. Uma época mais simples.

O problema do Beastmaster é bem claro: ele é um herói de invocações. E ele não trás mais nada além de invocações (com exceção de sua ultimate, mas isso deixaremos para discutir mais tarde). Não é fácil justificar a escolha de um Beastmaster, mas vamos discutir sobre sua atuação.

Primeiramente, como um herói de início de jogo, ele até pode se sair bem e é útil pois pode limpar campos de creep facilmente assim como Archmage e Far Seer. Invocações são excepcionais para fazer isso, mas ao decorrer dos níveis os outros heróis trazem mais do que invocações — no caso do Archmage ele trás sua incrível aura e o Far Seer conta com um explosivo dano com Chain Lightning. E o Beastmaster? Continua com suas invocações, cada vez melhores, mas ainda sim são apenas invocações.

E qual é o problema disso, Sr. Norseland? Por que invocações são ruins? Isso é obvio para jogadores que tem um pouco de conhecimento de Warcraft 3: dispel. Sim, uma habilidade que a maioria das raças terá acesso no Tier 2. O dispel causa dano massivo a invocações fazendo com que o Beastmaster fique inútil com o passar do tempo

Bom, se o Beastmaster é forte até o oponente ter dispel, então a solução seria fazer um rush? Sim, mas isso é pouco efetivo. As invocações do Beastmaster não são iguais às invocações do Firelord, que possui um método de se multiplicar. Elas são diferentes: o Beastmaster se apoia em evoluir suas invocações, já o Firelord têm elas já úteis do nível 1. Isso faz com que ele se torne fraco até em comparação com outro herói de rush.

Certo, então e o Beastmaster de segundo ou terceiro herói? Se você prestou atenção no dito acima, ele é fraco contra Dispel. Então as suas invocações não serão um problema que o oponente não poderá lidar no tier 2 ou tier 3. Apenas será um herói a mais em sua composição que pode forçar o seu oponente um pouco, mas nada muito relevante.

O Beastmaster já teve seu valor, é claro. Ele já foi muito utilizado em push de early tier 2 ao lado dos Humanos para vencer de Orcs, pois uma de suas habilidades, o Summon Hawk, cria um falcão que possui uma habilidade de revelar unidades invisíveis, dando um counter perfeito ao Blademaster. Além disso, os Orcs não conseguiam tirar Dispel no tempo certo para counterar essa estratégia, então o Beastmaster e o Archmage poderiam infestar a base dos Orcs com suas summons e destruí-la completamente antes que o jogador Orc pudesse reagir.

Bem, os orcs pararam de usar Blademaster e então sua próxima escolha, Far Seer, tende a não ser tão prejudicado. E os orcs começaram a tirar o Shaman mais cedo que possui uma habilidade de Dispel sem precisar de upgrades.

Ele também aparecia de segundo ou terceiro herói para os Elfos na match-up de Elfo contra Orc. Numa estratégia conhecida como Mass Talons, que consistia em criar vários Druids of the Talon, no seu upgrade máximo, e utilizar usa habilidade de Ciclone, pra neutralizar o exército do Orc, enquanto segurava-o com várias invocações do Beastmaster, Tinker, Keeper ou qualquer outro herói com bastante invocações. Essa estratégia acabou um pouco fragilizada, com os orcs aprendendo a lidar com ela, deixando o Beastmaster sem porto seguro.

Bom, fica difícil ajudar o Beastmaster. Ele é fraco, pois é fácil de lidar com ele, e você não quer um herói que o oponente pense “ok, é só um Beastmaster”. O Firelord pode dar silence e tem bastante dano, já o Beastmaster trás apenas invocações e mais invocações, eu não faço ideia de como deixar o Beastmaster aceitável em Warcraft 3… Talvez substituir sua Ultimate?

Seria uma boa ideia, mas os Beastmasters não duram o suficiente para justificar uma escolha apenas pela Ultimate. Deixar as invocações mais fortes? Iria auxiliá-lo, mas ainda teria uma fraqueza óbvia que seria muito explorada, e deixaria de ser relevante, ou seria MUITO forte (como vimos o Crypt Lord recentemente ficar extremamente forte por causa de suas invocações).

Conclusão

Em minha opinião, para a Blizzard melhorar a diversidade de heróis e de estratégia ela deveria focar sim nos heróis menos escolhidos, mas principalmente nos de taverna. Eles podem ser muito úteis em situações variadas, mas nunca a melhor escolha. Talvez deixar mais forte as estratégias de primeiro herói neutro? Isso seria viável para raças como o Elfo, ou até mesmo os Undeads.

E aí? Alguma ideia de como melhorar esses heróis? Qual outro herói você gostaria de ver mais útil? Será que teremos mais nagas em Warcraft 3?

Streamer, Leitor e Viciado em videogames desde que se conhece por gente.
Artigos criados 12

Digite acima o seu termo de pesquisa e prima Enter para pesquisar. Prima ESC para cancelar.